A Câmara dos Deputados editou a Medida Provisória 1079/2021, que trata sobre a prorrogação excepcional, de mais 1 (um) ano, de isenção ou suspensão de tributos em regime aduaneiro especial de drawback.

O drawback foi criado em 1996, como um incentivo fiscal para as empresas que desenvolvem operações de comércio exterior, como a importação de produtos e/ou matéria-prima, beneficiando-os, e posteriormente, devolvendo-os ao exterior através da exportação.

Este regime aduaneiro especial visa isentar de tributos a compra de insumos no estrangeiro, que são internalizados e utilizados para agregar valor à produção de bens destinados à exportação.

Desta forma, o drawback na modalidade de suspensão, permite o não pagamento dos seguintes tributos durante o prazo de 1 (um) ano:

  • Imposto de Importação (II);
  • Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI);
  • PIS e a COFINS;
  •  Adicional de Frete para Renovação da Marinha Mercante (AFRMM)
  •  Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços – ICMS

Na modalidade de isenção, o ICMS poderá ser aproveitado pelo prazo de até 2 (dois) anos.

Esta medida, ampara especificamente os produtos destinados ao enfrentamento da pandemia, causada pelo vírus da COVID-19, visto que, as empresas afetadas temiam não conseguir cumprir os prazos previstos, para as operações de exportação, podendo ser oneradas com a incidência de juros e multa de mora pelo descumprimento das regras previstas para o drawback.

A referida MP ainda deverá ser analisada pelo Senado Federal para aprovação até o dia 24 de maio de 2022. Contudo, caso seja promulgada,  será um respiro para as empresas de exportação, as quais poderão aproveitar dos benefícios até final de 2023.

Posts recentes

ESTADO DO PARANÁ PRORROGA NOVAMENTE COBRANÇA DO FUNREP ALTERANDO ITENS PREVISTO NA LISTA ORIGINAL

LC 194/2022 FAZ NOVA ALTERAÇÃO NO CREDITAMENTO DE PIS/COFINS SOBRE COMBUSTÍVEIS

Crédito do ICMS incidente sobre a energia elétrica consumida na atividade de armazenagem